27 de fevereiro de 2008

Rails alavanca Python

Como o pessoal do meio já deve estar sabendo, Python foi a linguagem que mais cresceu em 2007 em popularidade segundo o Tiobe Index (noticiado em português pelo blog do Caio Moritz).

Pois bem, a minha teoria é: A bolha de Rails estourou soprando na embarcação de Python.

É que nesse mundo doutrinado por Java e .Net as pessoas costumam usar o que todo mundo usa, e às vezes deixam de experimentar coisas melhores.

Mas de repente, não mais que de repente, em 2004, provavelmente em razão do Zope, despontou Python -- uma linguagem nova com idéias arrojadas, mas ainda não era comercial o suficiente para causar grandes mudanças.

Mas de repente, não mais que de repente, em 2005 surgiu "Ruby on Rails" cujo o nome já diz a linguagem na qual foi escrito: Ruby. Pela facilidade que o framework proporcionava e um conjunto de circunstâncias favoráveis Rails se tornou rapidamente hype. E 2006 foi o ano de Ruby. Tanto que Rails aparecia em revistas e era constantemente citado nos fóruns de tecnologia por aí afora.

Então vêm os winds of change. Quem nunca tinha se interessado, ficou conhecendo a fama de Rails e dessa maneira descobriu-se que existia um tal Ruby (que quase ninguém conhecia), e um número significativo de programadores, experimentando esse açúcar, migrou para Rails e por conseqüência adotaram Ruby.

Aqui entra o efeito borboleta. Ruby é indissociável de Python, ambas têm muitas vantagens, como a ausência do perlishismo de Perl (Ruby ainda conserva um pouco disso mas isso deve mudar), da bagunça de PHP e da verbose ilegível de Java. E como a febre Rails passou causando mudanças no mundo, as novas tecnologias continuaram a chamar a atenção, e assim, nesse último ano, muitos analisando friamente as duas tecnologias optaram por Python.

Talvez não tenha sido o fator preponderante para impulsionar os números, há que se levar em consideração outros como o próprio crescimento contínuo de Python (que já vinha acontecendo) , além do crescimento do uso de Linux (com foco em Ubuntu) que faz ampla utilização de Python, mas que Rails pareceu ajudar, isso foi.

De uma maneira ou de outra, Ruby e Python vão seguir adiante atraindo olhares atentos e desatentos, e mais uma vez a canção será entoada: listen to the wind of change...

Nenhum comentário: